SAMBA
MÚLTIPLO NOS TIPOS.
ÚNICO NA POPULARIDADE.

FAÇA O DOWNLOAD DA MÚSICA SAMBA FLUORESCENTE,
O BRASILEIRITMO
DE DEZEMBRO.

DOWNLOAD

SAMBA FLUORESCENTE

“Desde que o samba é samba é assim”, disse Caetano. Até mesmo no mundo da música, esse “filho da dor e pai do prazer”,ainda continua sendo Samba. “Com que roupa eu vou?” deve estar perguntando ele, que já se fantasiou de maracatus e afoxés e se já transformou em tantos outros. Tem samba de roda, samba-canção, bossa-nova, afro-samba, samba esquema novo, samba-jazz, samba-rock, samba-soul, samba reggae, partido–alto, gafieira, pagode, samba de raiz, tem samba-só samba mesmo e até escola de samba tem!

O nosso Samba, que vocês já devem estar ouvindo, é sobrinho do samba esquema novo de Jorge Ben, que nos anos 60 incorporou a sonoridade jazzística de Meirelles e os Copa 5 à batida irresistível de seu violão. Começa com uma linha de piano/baixo de temperamento tenso dobrada em seguida pelos trombones ao estilo Moacir Santos. Do suspense, entramos no alívio do samba cadenciado com melodia no piano até o refrão e seu final feliz, quando entram enfim os metais tipo “sai da frente que eu quero passar” e empurram a música lá pra cima, afinal “O Samba é o poder transformador”.
Daniel Carlomagno
Compositor, Instrumentista e Produtor Musical

ETIMOLOGIA

A palavra samba tem origem nas danças religiosas dos angolanos. Em quimbondu, se chamava semba, palavra africana que significa umbigo ou coração. No umbumdo, se chamava samba mesmo e significa animação ou excitação. Registros históricos mostram que a palavra samba surgiu no Brasil, pela primeira vez, em 1838, na revista O Carapuceiro.

REGIÃO

Rio de Janeiro, Bahia e Maranhão foram os estados que difundiram o ritmo. Atualmente, é popular em todo o Brasil.

Região Norte e Nordeste
Dança do CocoDança do Coco

HISTÓRIA

A origem do samba está nos batuques dos escravos africanos. Com a Abolição da Escravatura e a Proclamação da República, uma grande quantidade de negros, de várias partes do País, se dirigiu ao Rio de Janeiro. Foi quando nasceram, no final do século XIX, os aglomerados em torno das religiões iorubás na região central da cidade, principalmente na Praça Onze.

Começaram a se formar as primeiras rodas de samba, com molho carioca, na mistura de elementos do batuque africano com a polca e o maxixe. Pelo Telefone, assinada por Ernesto dos Santos, o Donga (com Mauro de Almeida) em 1917, foi a gravação que oficializou o ritmo.

Rapidamente, o samba se tornou popular e suas variações agradavam todos os tipos de pessoas e artistas, inclusive da classe média, como o ex-estudante de medicina Noel Rosa e o ex-estudante de direito Ary Barroso, responsáveis por obras memoráveis que redimensionaram o gênero. Na década de 1930, a Era do Rádio se encarregou de difundir e popularizar de vez o samba. Já sob a ideologia do Estado Novo, de Getúlio Vargas, é composto por Ary Barroso o primeiro hino brasileiro no exterior: Aquarela do Brasil.

Dos morros cariocas não param de brotar músicos e compositores. O gênero ganha status com gravação organizada pelo compositor Villa-Lobos, com o maestro erudito Leopold Stokowski, no navio Uruguai, em 1940, da qual participam Cartola, Donga, João da Baiana, Pixinguinha e Zé da Zilda. 

O samba nunca parou de ganhar adeptos e de revelar novos artistas. Além disso, sua riqueza melódica e rítmica inspirou uma série de variações de novos estilos como samba-enredo; partido alto; pagode; samba-canção; samba carnavalesco; samba-exaltação; samba de breque; samba de gafieira e Sambalanço, precursor da Bossa Nova.

No dia 2 de dezembro comemora-se o Dia Nacional do Samba.

INSTRUMENTOS

Inicialmente, o samba era tocado apenas com instrumentos de percussão, os atabaques. Atualmente, são vários: bandolim; banjo; caixa de guerra; cavaquinho; chocalho; repinique; surdo; tamborim; violão; violão 7 cordas.

DANÇA

O samba originalmente é uma dança. A batida de pés acompanha os instrumentos de percussão. No samba de roda os dançarinos fazem círculos com movimentos livres.

Bandolim - Instrumento Musical do Choro

PRINCIPAIS ARTISTAS

Adoniran BarbosaCarmen Miranda
Ataulfo alvesCartola
Noel Rosa
DongaPaulinho da ViolaNoel RosaBezerra da Silva
Martinho da VilaPixinguinha
Bezerra da Silva

DISCOGRAFIA/MÚSICAS

Samba Fluorescente - Brasileiritmos Leograf
(Daniel Carlomagno/ Leograf)
Mas, Que Nada - Jorge Ben Jor
(Jorge Ben Jor)
Praça Onze - Demônios da Garoa
(Herivelto Martins/ Grande Otelo)
Aquarela do Brasil - Francisco Alves
(Ary Barroso)
Pelo Telefone - Almirante
(Donga/ Mauro de Almeida)
O Que É Que a Baiana Tem? - Dorival Caymmi
(Dorival Caymmi)
Sonho Meu - D. Ivone Lara e Clementina de Jesus
(D. Ivone Lara/ Delcio Carvalho)
O Mar Serenou - Clara Nunes
(Candeia)
Casa de Bamba - Martinho da Vila
(Martinho da Vila)
Aquele Abraço - Gilberto Gil
(Gilberto Gil)
Cadê Tereza - Jorge Ben Jor
(Jorge Ben Jor)
Saudosa Maloca - Demônios da Garoa
(Adoniran Barbosa)
Arrasta a Sandália - Beth Carvalho, Zeca Pagodinho
(Baiaco/ Aurélio Gomes)
Se Você Jurar - João Bosco
(Ismael Silva/ Newton Bastos/ Francisco Alves)
Quem Me Vê Sorrindo - Cartola
(Cartola/Carlos Cachaça)
Brasil Pandeiro - Novos Baianos
(Assis Valente)
Pressentimento - Elza Soares
(Elton Medeiros/ Hermínio Bello de Carvalho)
Batuque na Cozinha - Pixinguinha, Clementina de Jesus e João da Baiaha
(João da Baiana)
Ai, Que Saudades da Amélia - Ataulfo Alves e Suas Pastoras
(Ataulfo Alves/ Mário Lago)
Um Juramento Falso - João Nogueira
(Pedro Caetano)
Acertei no Milhar - Moreira da Silva
(Wilson Batista/ Geraldo Pereira)
Escurinho - Roberto Silva
(Geraldo Pereira)
Vou Festajar - Beth Carvalho
(Jorge Aragão/ Neoci/ Dida)
A Voz do Morro - Jorge Goulart
(Zé Kéti)
Mora na Filosofia - Marlene
(Monsueto Menezes/ Arnaldo Passos)
Canto de Ossanha - Elis Regina
(Baden Powell/ Vinicius de Moraes)
Heróis da Liberdade - Roberto Ribeiro
(Silas de Oliveira/ Mano Décio/ Manoel Ferreira)
Cântico à Natureza - Jamelão
(Nelson Sargento/ Jamelão/ A. Lourenço)
Foi um Rio que Passou em Minha Vida - Paulinho da Viola
(Paulinho da Viola)
O Mestre-Sala dos Mares - João Bosco
(João Bosco/ Aldir Blanc)
Gostoso Veneno - Alcione
(Wilson Moreira/ Nei Lopes)
Clube do Samba - João Nogueira e Martinho da Vila
(João Nogueira)
Cidade do Pé Junto - Zeca Pagodinho
(Zeca Pagodinho/ Beto Sem Braço)
Candidato Caô Caô - Bezerra da Silva
(Pedro Butina/ Walter Meninão)
A Flor e o Espinho - Nelson Cavaquinho
(Nelson Cavaquinho/ Guilherme de Brito)
Feitiço da Vila - Martinho da Vila
(Noel Rosa/ Vadico)
Jura - Mário Reis
(Sinhô)

ARTISTAS RELACIONADOS

Aldir Blanc
Aracy de Almeida
Ataulfo Alves
Beth Carvalho
Candeia
Carmen Miranda
Chico Buarque
Clara Nunes
Clementina de Jesus
Dalva de Oliveira
Demônios da Garoa
Dona Ivone Lara
Elis Regina
Elizeth Cardoso
Elton Medeiros
Elza Soares
Francisco Alves
Isaura Garcia
Jacob do Bandolim 
João Bosco 
João Nogueira
Jorge Aragão
Jorge Ben Jor
Lamartine Babo
Lupicínio Rodrigues
Mário Reis
Nelson Cavaquinho
Nelson Sargento
Orlando Silva
Paulinho da Viola
Pixinguinha
Silvio Caldas
Wilson Moreira

REFERÊNCIAS

Dicionário Etimológico (http://www.dicionarioetimologico.com.br/samba/)

Mundo Educação (http://mundoeducacao.bol.uol.com.br/carnaval/a-origem-termo-samba.htm)

História do Mundo (UOL) (http://historiadomundo.uol.com.br/curiosidades/origem-samba.htm)

Sua Pesquisa (http://www.suapesquisa.com/samba/)

Clique Music UOL (http://cliquemusic.uol.com.br/generos/ver/samba)

RITMOS

Brasileiritmos Leograaf Bossa Nova
Brasileiritmos Leograf Marcha-Rancho
Brasileiritmos Leograf Ciranda
Brasileiritmos Leograf Maracatu
Brasileiritmos Leograf Moda de Viola
Brasileiritmos Leograf Baião
Brasileiritmos Leograf Boi
Brasileiritmos Leograf Frevo
Brasileiritmos Leograf Coco
Brasileiritmos Leograf Choro
Brasileiritmos Leograf Samba